Na primeira semana de Dezembro 2014, uma vez mais o atual  
primeiro-ministro de Israel, Beniamin Nataniahu, solicitou ao
parlamento de Israel que os seus membros votassem pela dissolução da
entidade magna governamental. Isto, após sérias divergencias com os
partidos "Iesh Atid" e "Hatnua", respectivamente liderados por Yair
Lapid (Ministro da Fazenda) e Tzipi Livne (Ministro da Justiça), que
resultou na demissão de ambos das fileiras coalizantes. Com a demissão
destes, afastaram-se da coalizão governamental 24 de seus membros, que
integravam os dois partidos.  
Após a votação da maioria dos deputados pela dissolução do govêrno,
decidiu também o Knesset fixar a data de 17 de Março de 1915 como a
data do próximo pleito.
A exemplo do govêrno recém dissolvido, estarão disputando as 120
cadeiras parlamentares, em 2015, os mesmos partidos, com a adição de  
dois novos, o "Kulanu",  liderado pelo  demissionário ministro  das
comunicações, Moshe Kachlon e o recem criado partido religioso
"Iachad Haam Itanu"  liderado por Eli Yshai, ex-integrante do  "Shas",
em oposição a Arie Deri.  Neste cenario, espera-se forte campanha
politica por parte dos partidos religiosos, que irão se empenhar em
disputar os votos do limitado publico ortodoxo visando integrar o futuro
govêrno. No total, com prazo a encerrar-se em fins de Janeiro, estão
inscritas 28 listas concorrentes às eleições.
Apurados os votos, constatou-se oficialmente que o partido "Likud"
conseguiu a maioria dos votos, obtendo a expressiva quantidade de 30
cadeiras parlamentares, seguido do partido Trabalhista, com 23
cadeiras. Nestas condições o lider do partido majoritario, Benjamin
Nataniahu foi incumbido pelo presidente de Israel, Reuven Rivlin, de
formar o novo govêrno em condições de coalizão.
Após o prazo regulamentar maximo de 6 semanas, o novo govêrno
ganhou a aprovação presidencial.
Contando com a maioria regulamentar de 61 cadeiras, a nova coalisão
passou a ser formada por 21 ministros, representantes dos partidos:
Likud, Shas, Israel Beiteinu, Kulanu e a União Religiosa.

Composição do Govêrno:

Beniamin Netanyahu (Likud)
Primeiro Ministro; Ministro do Exterior e
Ministro das Communicações

Moshe Ya'alon (Likud)
Ministro da Defesa

Aryeh Deri (Shas)
Ministro da Economia; Ministro do Desenvolvimento
do Negev e da  Galileia

Moshe Kahlon (Kulanu)
Ministro da Fazenda

Naftali Bennettt (Israel Beiteinu)
Ministro da Educação; Ministro dos Assuntos da Diaspora

Silvan Shalom (Likud)
Ministro do Interior -  Vice Primeiro-Ministro

David Azulai (Shas)
Ministro de Assuntos  Religiosos

Ayelet Shaked  (Israel Beiteinu)
Ministro da  Justiça

Yaakov Litzman (Uniao Religiosa)
Ministro da Saude

Yisrael Katz (Likud)
Ministro de  Transportes; Ministro dos Serviços de Inteligencia

Yuval Steinitz (Likud)
Ministro da Infraestrutura; Ministro de Energia Atomica

Yoav Galant (Kulanu)
Ministro da Habitação

Benny Begin (Likud)
Ministro de Assuntos Estrategicos e Servicos de Inteligencia
Internacional

Gila Gamliel (Likud)
Ministro da Aposentadoria, Academicos, Juventude
e Igualdade Sexual

Haim Katz (Likud)
Ministro de Assistencia Social

Danny Danon (Likud)
Ministro de Tecnologia, Ciencias e Projetos Espaciais

Ze'ev Elkin (Likud)
Ministro da Imigração e Absorção

Yariv Levin (Likud)
Ministro de Turismo - Ministro de Segurança Interna

Uri Ariel (Israel Beiteinu)
Ministro da Agricultura e  Desenvolvimento Rural

Avi Gabai (Kulanu)
Ministro de Proteção do Meio Ambiente

Miri Regev (Likud)
Ministro da Cultura e Esportes
A DISSOLUÇÃO DA 19a. CADÊNCIA DO  "KNESSET" E A
20a. GESTÃO DO NOVO GOVERNO ELEITO EM 17/3/2015